Como escolher um celular bom para comprar: o guia final

Comprar um celular em hoje em dia se tornou uma tarefa bem mais difícil do que 15 anos atrás.


1) porque existem muuuuito mais modelos.


2) porque hoje fazemos muito mais coisas neles e, por isso, celulares se tornaram ainda mais importantes.




RESUMO:

Para conseguir escolher um celular bom para comprar é necessário que você entenda exatamente como você usa seu aparelho. Vamos te ajudar com isso nesse artigo. Em outras palavras, queremos te ajudar a pensar quais as características que você mais precisa. A partir disso, conseguiremos selecionar apenas o modelo ideal.




NÃO PULE ESSA PARTE AQUI: COMO ESCOLHER UM CELULAR BOM


Um dos nossos principais diferenciais em relação a tantos outros artigos que aparecem nesse tema é que não estamos aqui para te vender um ou outro aparelho específico.


Muitas das matérias que devem ter aparecido para você devem ser boas e até bem intencionadas, porém todas elas querem te vender um celular ou outro.


Talvez você ainda não conheça a gente, somos uma empresa brasileira especialista em te ajudar a escolher o celular ideal. Usamos inteligência artificial para encontrar a escolha certa para o seu estilo de uso.


Se você quiser conhecer um pouco mais sobre isso, dá uma clicada aqui e aproveita para conhecer mais do nosso trabalho.


Essa é a nossa missão. Queremos embarcar juntos com você nessa jornada de escolher um celular bom para comprar.





O QUE É PRECISO NA HORA DE ESCOLHER UM CELULAR BOM


Primeiro, é muito importante comentar que algo ser "bom" é meio que relativo. Isso vai depender da sua perspectiva e o que você mais leva em conta.


Existem aqui duas categorias de consumidores procurando por um celular novo.


Aqueles que topam pagar mais caro e ir direto para os melhores que existem.


E aqueles que possuem um determinado limite no valor que estão dispostos a gastar.




A primeira categoria




Se você topa pagar mais de R$3500 no seu novo celular, basicamente não encontrará aparelhos com grandes defeitos.


Ou seja, é praticamente impossível encontrar um aparelho lento ou com tela ruim ou pouca memória.


Aqui o mais importante é conseguir identificar as diferentes características de cada um, entender o que é o forte do aparelho.


Se câmera é fundamental pra você, tente encontrar aquele celular que tem a câmera com fotos ou vídeos mais do seu agrado. Se for tela, procure aqueles aparelhos com telas super amoled.


E assim por diante. Você está em um posição mais confortável, onde é muuuuito mais difícil encontrar um celular ruim. Mas ainda sim é possível escolher o celular errado para você.




A segunda categoria




Se você procura algo, digamos, até uns R$1500-R$2000, você precisa ser um pouco mais cauteloso.


O mercado realmente mudou bastante, alguns anos atrás era bem possível comprar um celular verdadeiramente ruim nessa faixa de preço.


Hoje em dia, acaba sendo mais uma questão de encontrar a melhor opção para você.


Dentro dessa perspectiva, voltamos ao tópico principal dessa matéria. Entender o que é bom pra você.


Quero que você pense rapidamente no que mais precisa. O teste funciona assim:


O que exatamente vem à sua mente quando você pensa em celular bom?


PENSE POR UNS 5 SEGUNDOS.


Se o que vier primeiro à sua mente for um aparelho específico, os pontos fortes daquele aparelho são o que você mais precisa.


Se for uma única característica, essa é a principal.


Quando estiver buscando um celular foque nessa(s) caracaterística(s).



E esse é o segredo para você conseguir encontrar o celular certo.






PORQUÊ CELULARES BONS NEM SEMPRE SÃO CAROS


Assim como existem consumidores e consumidores também existem celulares e celulares.


Ou seja, talvez você precise mais de uma funcionalidade ou de outra. Se você procura por um aparelho mais de entrada (até uns R$1800 aqui no Brasil) você pode focar mais nessa funcionalidade.


Vamos explicar um pouco melhor.





Aparelhos mais ou menos até essa faixa de preço costumam fazer sacrifícios em algumas frentes para compensar em outras. Dessa forma, se o celular possui uma câmera de destaque, ele provavelmente possui um processador um pouco mais fraco.


Naturalmente, peças melhores custam mais caro. Logo, se a fabricante incluir as melhores peças disponíveis no mercado seu celular custará R$4000-R$5000.


Mas essa categoria já existe, são os topos de linha.


No caso dos aparelhos mais de entrada (até uns R$1800) o jogo é outro. Na verdade, o jogo é tentar incluir o máximo de peças destaque (câmera, tela, processador, etc) até um determinado preço.


Dessa maneira, é impossível não economizar em alguma ponta.


Além disso, outra parte importante desse processo é não ter nenhuma frente extremamente fraca, como, por exemplo, um processador lento demais ou uma bateria que acaba antes do meio dia.


Basicamente, nada que vá frustrar muito o usuário naquela faixa de preço.


Por isso as fabricantes precisam se reinventar e criar novos truques para chamar atenção do consumidor que procura um celular intermediário ou de entrada.


É aquela velha história de que megapixels não são tudo em uma câmera ou "quad core", "octa core" significam um aparelho rápido. Existem diferentes variáveis.


Porém, as fabricantes sabem o que destacar mais no marketing para trazer mais resultados, mesmo se aquilo não acrescentar muito para o consumidor.


É um jogo de números.





PONTOS IMPORTANTES NA SUA JORNADA DE COMPRA


Existem algumas coisas importantes para você ficar de olho.



Primeiro ponto


É até meio óbvio, mas precisa ser dito: o preço.


Você pode usar ferramentas como Zoom ou Comparador de preços do Escolha Segura para encontrar o melhor preço disponível nos sites brasileiros.


Por mais que o celular tenha tudo que você precisa e seja uma boa compra, nem um aparelho vale um valor infinito.


Ou seja, se ele costuma ser vendido entre R$1500 e R$1600, não vale a pena pagar R$2000 por ele.


Pode parecer óbvio, mas na hora da emoção de comprar um celular novinho, a lógica pode ir pela janela.



Segundo ponto


Compare celulares por preço, não por marca.


Se você está escolhendo um celular aqui no Brasil, provavelmente está de olho em alguma grande marca.


Samsung, Apple, Motorola, LG, etc.





E elas são relativamente seguras, contando com um atendimento parecido, boa reputação e suporte técnico.


Por isso, frases como "celular da Samsung é ruim" ou "iPhone é tudo caro" não são verdade.


Mais do que olhar para a marca é importante olhar para a faixa de preço do produto. Aparelhos de R$500-R$600 provavelmente trarão alguma dorzinha de cabeça ou outra. É normal.


Afinal de contas, não há como construir um celular barato com peças caras.


Justamente por isso procure comparar aparelhos equivalentes. Um iPhone de R$1000 (usado) com um Samsung de R$1000, e assim por diante.


Ninguém compararia um carro de R$20.000 com um de R$150.000, não é mesmo?


Terceiro ponto


Tenha em mente quais são os componentes mais caros de um celular.


Essa parte também é muito importante. Algumas peças são (bem) mais caras do que outras na hora de montar um aparelho.


As mais caras, em ordem, são essas:


  • Processador

  • Câmera

  • Tela

  • Acabamento


Dessa forma, se você busca um aparelho "de entrada", como comentamos antes, até uns R$1800, é importante saber onde sacrificar.


Isso volta um pouco àquilo que comentamos antes sobre saber o que enfatizar na hora de comprar um celular e o que você mais precisa.


De modo geral, aqui no nosso mercado, os celulares geralmente têm uma dessas características acentuadas. Em outras palavras, eles têm um elemento bem melhor do que os outros.


Costumamos ver esse destaque ficar por conta das câmeras (geralmente em quantidade), tela ou acabamento. E faz sentido.


Afinal, todos esses são elementos visíveis para os consumidores leigos.


O resumo é: entenda que não há mágica. Se o celular possui uma câmera ou tela muuuito acima da concorrência naquela faixa de preço, as outras frentes sofrerão um corte drástico.






COMO ESCOLHER UM CELULAR BOM PARA COMPRAR: SEM TER DÚVIDA NA HORA


É basicamente impossível indicar um celular ideal para alguém sem conhecer a pessoa e o seu estilo de uso.


Justamente por isso construímos um processo bastante simples para você, mas com bastante tecnologia e conhecimento por trás.


Nós da Bleck procuramos te conhecer melhor, entender seu estilo uso e o que você mais precisa na hora de escolher um celular bom.


Possuímos duas formas de te ajudar.


Primeira:


Você entra pelo processo de inteligência artificial desenvolvido pelo nosso time de experts. Nele, você responde algumas perguntas pontuais, criadas justamente para definir seu estilo único de uso.


A partir disso, nosso sistema consegue indicar o celular ideal para você. Tudo isso dentro do preço que você pode pagar e com modelos disponíveis aqui no Brasil.



Segunda:


Caso você tenha mais dúvidas e queira um acompanhamento mais de perto, também pode fazer todo o processo diretamente com o nosso time.


Nessa modalidade você conversa com as pessoas responsáveis por criarem todo nosso processo de pesquisa de mercado e inteligência artificial.


É uma forma de ter ainda mais controle sobre o seu processo de compra.




POR QUE ESTAMOS FALANDO ISSO?


O principal motivo é porque conhecemos todo o potencial que nosso time e nosso software têm para facilitar a tua vida.


Como todo negócio, precisamos de receita para podermos manter nossos serviços no ar e continuar ajudando cada vez mais pessoas.


Mas ainda sim criamos conteúdos gratuitos - como esse artigo - para ajudar aquelas pessoas que não estão convencidas do nosso potencial.


O foco é facilitar a vida das pessoas e empoderar suas escolhas.




CONCLUSÃO


Vamos recapitular rapidamente.


Primeiro: é preciso ter em mente que um "celular bom" é um termo relativo. Isso dependerá do que você mais precisa em um aparelho (geralmente tela, câmera, processador ou bateria).


Segundo: é importante ter 3 coisas em mentes na hora de escolher um celular bom para comprar.


  • Preço (o aparelho precisa estar em um preço justo)

  • Comparar por faixa de preço, não marca (compare celulares da mesma faixa de preço SEMPRE)

  • Ter em mente quais são os componentes mais caros de um celular (em ordem: processador, câmera, tela, acabamento)


Terceiro: procure alguém que entenda muito de celular e que conheça você. Dessa forma, a pessoa pode indicar exatamente o que você está precisando.


Caso você não conheça ninguém pessoalmente, estamos aqui para te ajudar. Essa é a nossa especialidade. É só clicar aqui para conhecer um pouco mais :D


Enfim, é muito importante você ter em mente esses pontos que colocamos aqui. Eles serão um ótimo guia para que você minimize as possibilidades de errar na hora de comprar um celular.


Afinal de contas, eles não são tão baratos assim, não é mesmo?



Gostou desse conteúdo? Aproveita e dá uma olhada nos outros artigos que nós temos disponíveis na Revista Bleck. Além disso, se tiver alguma ideia ou sugestão, fique bem à vontade pra mandar para nós via e-mail.


E não esquece de compartilhar nosso site com alguém que pode ser ajudado por ele, bora mudar esse mundo pra melhor e aproximar as pessoas das tecnologias que elas usam.









© 2020 Bleck. Todos os direitos reservados.