Como escolher um celular bom e barato: o guia definitivo




Olá, seja muito bem-vindo ou bem-vinda a esse nosso guia completo sobre como escolher um celular bom e barato.

Esse será o único guia que você vai precisar ler.


Vamos começar?



RESUMO:

Como escolher um celular bom e barato?
Acreditamos que você precisa ter em mente duas coisas: os quatro pilares de um bom celular (bateria, tela, processador e câmera) e o que você mais precisa em um celular. Ou seja, qual dessas quatro características você usa mais no seu dia a dia.

Estar na busca por um celular bom e barato pode ser um desafio aqui no Brasil. Em grande parte isso acontece por não termos taaaantos modelos assim como lá fora.

Mas não se preocupe. Inclusive, vamos nos apresentar bem rapidamente.

Somos a Bleck, uma empresa especializada em te ajudar a encontrar o eletrônico certo. Nosso foco é conhecer um pouco mais sobre você e o seu estilo de uso para, dessa forma, poder ajudar você nessa jornada de encontrar um aparelho novo.


Por isso, se você quiser dicas mais personalizadas e mais a ver com você, clique aqui para conhecer um pouco mais sobre o que fazemos :)



Mas então, como escolhemos um celular que seja barato e bom?


É importante entender que precisaremos fazer alguns sacrifícios, isso é inevitável. Porém, hoje em dia, é possível encontrar um aparelho muito bom abaixo dos R$800.

Para começar, vamos fazer um checklist rápido. Quais dessas funções são mais importantes para você?


  • Câmera

  • Velocidade para abrir apps

  • Tela

  • Bateria

Esses são os principais pilares que a gente precisa ter em mente na hora de comprar um celular bom e barato. De modo geral, tentamos encontrar um modelo que não deixe muito a desejar em nenhum dos quesitos principais (Desempenho, tela, processador e bateria).


É comum encontrarmos no mercado modelos que enfatizam uma ou outra característica, como uma câmera excelente naquela faixa de preço. E se esse for o seu caso, recomendamos olhar principalmente para essa(s) característica(s) que você mais precisa.


Se, por outro lado, você busca um celular mais balanceado e quer algo para usar as principais redes sociais, assistir uma série, conversar com os amigos é importante ter um pouco de cuidado.


Dizer essas coisas pode até parecer meio óbvio, porém é importante termos uma estratégia antes de entrarmos na jornada de compra. Muitas vezes, podemos acabar caindo nas armadilhas de marketing de alguma empresa se não tivermos essa clareza logo no começo.



JÁ PENSOU EM MONTAR SEU PRÓPRIO CELULAR?


iPhone por dentro

Se você busca um celular bom em várias frentes, aquelas que comentamos antes (bateria, processador, tela e câmera), é importante ter em mente que provavelmente nenhuma delas será de grande destaque.


Em outras palavras, quando uma fabricante coloca um peça (câmera, processador, etc) de grande destaque naquela faixa de preço, as outras partes precisarão sofrer cortes.

Imagine por um momento que você é o chefe de desenvolvimento de produto da Samsung, e você tem R$200 de para construir um novo aparelho de entrada. Ou seja, o custo total das peças e pesquisa precisa ser de mais ou menos 200 reais por unidade.


Se você enfatiza mais em um processador e gasta, digamos, R$50 reais no processador, você provavelmente não poderá investir mais R$70 em um conjunto de 3 ou 4 câmeras porque ainda haverão outras peças complexas para serem adicionadas.


Estamos simplificando um pouco o processo, mas a lógica por trás é essa.

Usamos esse exemplo para explicar o porquê é importante procurar por um celular bom e barato de duas formas:

  • Focando em um ou dois diferenciais

  • Um aparelho balanceado, bom em tudo, mas sem necessariamente ter um enorme destaque.

Tendo isso em mente conseguimos ter uma base dos modelos que mais têm a ver conosco. A partir disso, precisamos conseguir interpretar um pouco os números. Ou seja, aquelas especificações que vemos.


Como saber se uma bateria de 3500 mAh (miliampere) é pequena ou grande? Ou se um processador Quad Core é rápido ou não?


Por isso, queremos te ajudar a ter uma base sobre esses números para que você consiga interpretar esses valores quando ver eles em um site ou loja.


É importante dizer que esse nosso guia é voltado para leigos e iniciantes. Então, mesmo que você não entenda nada de celular, conseguirá terminar essa matéria sabendo interpretar esses números.





OS QUATRO PILARES PRINCIPAIS DE UM CELULAR BOM E BARATO



Na hora de escolher um celular bom e barato é importante focar em 4 aspectos principais. Chamamos eles de Os quatro pilares de um bom celular. Mas por que?

Basicamente, se algum desses pilares for muuuito ruim, sua experiência com o aparelho poderá ficar comprometida. Já pensou uma tela super bonita, mas com uma bateria que acaba antes do meio dia?

Ou um celular super rápido, mas com uma tela que parece uma janela suja?


Fica muito difícil, não é mesmo?


Por isso, preste bastante atenção nesses quatro fatores na hora de escolher seu novo celular.

BATERIA




Quando o assunto é bateria, o mercado usa a métrica dos miliamperes (mAh).

Miliampere: Unidade de medida da intensidade da corrente elétrica, equivalente a um milésimo de ampère.


Basicamente, é a métrica usada para mostrar o quanto aquela bateria consegue ter de carga ao estar completamente carregada.


Assim como outras partes dos aparelhos, as baterias naturalmente melhoraram muito ao longo da última década.


Por isso, hoje em dia, podemos considerar como um pequena uma bateria abaixo dos 3000 mAh.

Em grande parte porque atualmente temos telas e processadores ainda mais potentes, e que requerem ainda mais das baterias. Via de regra, quanto mais alta a resolução da tela e mais potente o processador, maior a bateria precisa ser.


Dessa forma, nosso conselho é que você passe longe de modelos com menos de 3000 mAh, mesmo que você passe o dia com tomadas por perto.


Devido a todo avanço que tivemos em processadores e telas nos últimos anos, as baterias precisam ser cada vez maiores. Logo, aparelhos com capacidades menores a essa que comentamos com certeza terão uma autonomia de bateria ruim.





Agora, falando do outro lado da moeda. Digamos que você queira um celular com destaque justamente na bateria, qual seria um tamanho grande hoje em dia?


Nesse caso, nossa recomendação seria na faixa dos 5000 mAh. Você até consegue encontrar modelos com mais capacidade do que isso, mas eles são mais escassos e, na maioria das vezes, acabam sendo grossos demais. O que prejudica um pouco na hora de você carregá-lo de um lado para o outro no dia a dia.


Se você absolutamente precisa ficar dois ou três dias longe de uma tomada, nossa sugestão é investir um powerbank, um tipo de bateria externa. Você pode encontrar mais detalhes aqui.


E, para finalizarmos essa sessão sobre baterias, um valor médio/bom seria na faixa entre 4000 e 4500 mAh. Você terá uma autonomia muito boa, chegando até o fim do dia, e as fabricantes ainda teriam espaço para caprichar em outras partes do celular.


Se você estiver com alguma dúvida sobre bateria, pode entrar em contato com a gente ou descobrir mais aqui.

PROCESSADOR




Passaram-se os dias em que dizer que um celular Quad-core era sinônimo de rápido. Hoje em dia, é possível encontrar as duas coisas: tanto aparelhos quad-core rápidos quanto lentos.

Isso porque apenas o número de cores não indica o quão rápido o celular pode ser na vida real. Você encontra, hoje, aparelhos deca-core (10 núcleos) que são muito mais lentos do que aparelhos hexa-core (6 núcleos).

Além do número de núcleos do processador temos várias outras métricas que contribuem para conseguirmos olhar para ele no papel e dizer o quão veloz aquele aparelho realmente é.


E como esse guia é para leigos ou iniciantes, não vamos dar um “número mágico”, como fizemos com as baterias.


Nossa recomendação é que você assista ou leia reviews dos modelos que mais gostou. Inclusive, recomendamos assistir ou ler mais de uma opinião, para realmente ter uma base de como aquele aparelho provavelmente se comportará.

Você também pode conhecer nosso software que ajuda a encontrar o celular ideal para você, já levando em conta todas essas métricas de bateria, processador e tela que estamos apresentando aqui nesse artigo. Só clicar aqui :D

CÂMERA





Quando o assunto é câmera, a coisa pode ficar ainda mais complicada na cabeça das pessoas. Isso porque muito se falou e se fala no mercado de celulares sobre os famosos megapixels.


Mas o que exatamente eles fazem?

Megapixel é usado em câmeras de smartphones para mostrar o grau de resolução ou definição da foto.


Cada megapixel possui 1 milhão de pixels. Logo, uma foto de 5MP apresenta 5.000.000 de pixels. Essa quantidade é obtida ao multiplicar a largura pela altura da foto. Por exemplo, 2.560 pixels de largura por 2.048 pixels de altura resultará exatamente em 5.242.880 pixels (5,2 MP).


De uma forma bastante resumida podemos dizer para você que o número de megapixels, dada a maneira como a maioria das pessoas utilizam seus celulares, serve para a foto poder ser ampliada.


Ou seja, quanto maior a quantidade de pixels, mais zoom você pode dar na foto sem ela ficar super distorcida.


Com isso, a gente consegue perceber que muitos outros elementos na fotografia deveriam vir antes. O problema é que muitos deles não são tão facilmente mensuráveis como, por exemplo, a filosofia de processamento de imagem da fabricante.

Ou a estabilização da câmera com OIS, ou tantos outros componentes presentes na câmera de celular moderno.

Por isso, não queremos que você olhe apenas para a quantidade de megapixels de um celular na hora de escolher ele pela câmera. Inclusive, para provar isso, dê uma olhada na quantidade de megapixels na câmera do iPhone 11 Pro e do Galaxy S20 Ultra, as duas melhores câmeras no nosso mercado hoje.





Podemos perceber que ambos têm "apenas" 12 megapixels em suas câmeras principais e, ainda sim, são as melhores do mercado.


Em parte, também, porque seus processadores são mais potentes, permitindo um processamento de imagem com mais qualidade.


Queremos te ajudar a perceber que megapixels não são tão relevantes quanto as propagandas fazem parecer.


Eles têm, sim, seu grau de relevância, mas hoje em dia é cada vez menor. 10 anos atrás precisávamos escolher entre aparelhos com 1.2 megapixels e 6 megapixels. Realmente, a diferença poderia ser grande naqueles casos. Mas entre 12 e 20? Ou entre 12 e 48? A foto acaba não sendo necessariamente melhor.

Por isso, nossa recomendação é que você veja fotos tiradas pelo aparelho. Não se baseie apenas na opinião de análises, procure tirar suas próprias conclusões.


Até porque muitas fabricantes têm estilos diferentes de processar suas imagens, seja com mais ou menos saturação, mais contraste e assim por diante.


E se você quiser eliminar qualquer possibilidade de erro e de dúvida, como dissemos ao longo desse artigo, pode conhecer nossa ferramenta que te ajuda a encontrar o aparelho ideal. Só clicar aqui.


TELA




Tela de smartphone também é outro assunto super interessante. E também é um elemento que melhorou muuuito nos últimos anos.


Hoje em dia, é difícil encontrar uma tela realmente ruim em um aparelho barato (pensando na faixa dos R$600 até uns R$950). Porém, ainda precisamos tomar alguns cuidados, principalmente em termos de resolução.

Com os celulares ficando cada vez maiores, é super importante que eles tenham resoluções maiores. Caso contrário, a imagem pode ficar cheia de pixels e prejudicar o uso.


Por isso, nossa recomendação é que você não compre um aparelho com um resolução de tela menor do que HD ou HD+. As resoluções são 1280x720 para o HD e 1600(1560) x720 para o HD+.


O “+" que vem depois da sigla indicia, basicamente, que o celular possui uma tela um pouco mais alongada, padrão do mercado hoje em dia.


Nessa faixa de preço que mencionamos antes, é difícil encontrar modelos com uma resolução de tela menor do que essa. Contudo, é importante ficar atento.


Como esse não é um tutorial aprofundado, vamos ficar com essa recomendação. Acreditamos que nessa faixa de preço esse é o principal número que devemos ficar atentos.




O FATOR PREÇO


Assim como comentamos no nosso artigo Qual celular comprar: O que não te contam, que é mais aprofundado no mercado em geral, nem um aparelho, por mais incrível que possa parecer, vale um valor infinito de dinheiro.

Em outras palavras, é importante estar atento ao histórico de preço do aparelho. Assim como tantos outros produtos, celulares são cíclicos. Ou seja, seu preço depende de fatores de tempo.

Nesse gráfico abaixo podemos ver a depreciação (queda) do preço de alguns smartphones bem populares. Na coluna vertical tempos a porcentagem de queda e na horizontal o número de meses após o lançamento.


Source: decluttr.com

Por isso, é importante ficar atento à promoções e queda de preço ao longo do tempo. Antes de comprar, sempre verifique os preços anteriores. Recomendamos o Zoom e o Comparador de Preços do site escolha segura.


Queremos que você sempre faça bons negócios. E estamos aqui para te ajudar com isso.




QUANTOS ANOS VOCÊ FICA COM UM CELULAR?


O tempo que você pretende ficar com um aparelho também deve influenciar sua decisão de compra.

De modo geral, quanto mais caro o aparelho, mais tempo ele dura. Seu processador é melhor e por isso aguenta mais anos sem travar, sua bateria tem mais qualidade e “segura” a carga por mais tempo, e assim por diante.

Então, se você pensa em ficar com um celular por pelo menos um ano e meio ou dois, nosso conselho é tentar investir um pouco mais e ir direto para um modelo na faixa dos R$1200-R$1300, se possível.

Esse pulo da faixa dos R$800 para os R$1300 pode significar meses a mais de uso lá na frente. Isso não significa que aparelhos de entrada não sejam bons ou não façam aquilo que você precisa bem.


Apenas significa que eles não durarão tanto tempo quanto um aparelho R$500 mais caro.



Se não for possível dar esse salto na faixa de preço, mas você ainda pensa em ficar com o celular por bastante tempo, nosso dica é comprar o aparelho mais rápido possível dentro da sua faixa de preço.


Um telefone mais rápido conta com um processador mais potente, o que tende a manter um melhor desempenho conforme as demandas dos aplicativos fiquem maiores com o passar o do tempo.


Por isso, pense bem nesse aspecto na hora de tomar sua decisão de compra.

CONCLUSÃO


Então, como escolher um celular bom e barato?

Acreditamos que você precisa ter em mente duas coisas: os quatro pilares que apresentamos durante o artigo e o que você mais precisa em um celular.

Vamos recapitular esses quatro pilares rapidamente.

  • Bateria

  • Tela

  • Processador

  • Câmera

Além deles, é importante pensar na característica que você mais precisa. Ou seja, se você curte muito tirar fotos para o Insta, pense naquele aparelho que traz a melhor câmera na sua faixa de preço.

Da mesma forma, se você passa o dia todo longe da tomada, uma bateria com capacidade em torno de 5000 mAh poderá ser a melhor opção.

Pode parecer óbvio, mas na hora de comprar o aparelho a gente pode ficar na dúvida por causa de motivos que nem vão mudar tanto nossa vida com o celular.


Ter em mente esses dois aspectos principais pode te ajudar a ter muito mais certeza na hora de escolher um aparelho novo.





Mas, como dissemos antes, apenas com a nossa ferramenta conseguimos te ajudar com 100% de certeza. Se preferir, pode conferir ela aqui


Gostou desse conteúdo? Aproveita e dá uma olhada nos outros artigos que nós temos disponíveis na Revista Bleck. Além disso, se tiver alguma ideia ou sugestão, fique bem à vontade pra mandar para nós via e-mail. 

E não esquece de compartilhar nosso site com alguém que pode ser ajudado por ele, bora mudar esse mundo pra melhor e aproximar as pessoas das tecnologias que elas usam.




© 2020 Bleck. Todos os direitos reservados.